domingo, 29 de junho de 2014

SENTI-ME ESTRANHA...

Magda Farias

Uma sensação de nunca ter estado ali,
tive essa sensação quando sua voz
dizia com uma força que eu desconhecia,
dizia; esqueça-me...

Podia ouvir antes de chegar em sua boca,
sua boca que salivava com palavras
escondidas...

Uma sensação arrebatadora que veio com
tanta velocidade que fiquei até tonta, pois
minhas pernas não se equilibrava parecia
que o chão sumia em meu pés,

Mais foi assim! simples como um não querer mais,
Com essa sensação que eu desconhecia, senti-me
uma estranha, intrusa e invasora de sentimentos.

uma pessoa que não equilibra suas próprias pernas,
Em um circo onde à equilibrista perde à platéia
e com sua cara pintada diz que é  o final
do espetáculo.


sexta-feira, 20 de junho de 2014

EU SEI...

Magda Farias

Eu sei que às vezes nos enganamos,
e muitas vezes repetimos enganos,
mais sei que aprendi à amar-me,
e isso me importa!
pois agente aprende...


Rio, 20/06/2014.



quinta-feira, 19 de junho de 2014

ACHEI QUE VIREI UM ROBÔ

Magda Farias

Quando os seus sentimentos ficam confusos
Você já não sabe o que sente se é Amor,
Carinho,admiração,respeito,tristeza,alegria
Saudade ou sei lá o quê!
Você se pergunta? o que está acontecendo...

Será que de humana virei um robô!
Quando às coisas acontecem e você
Não consegue definir se o que está
Sentindo é tristeza ou alegria,
Coragem ou fraqueza,

Robôs que foram feitos pelo homem
Não demonstram sentimentos ou emoções...
São alheios aos problemas sócias,
Questões raciais,
Ao individualismo da raça humana,

Será que talvez sejamos assim... como robôs!
Não! não posso ser um deles,
Tenho que voltar à sentir o que antes
Achava importante na vida...
Deixar à lágrima cair e sentir o coração
Bater mais forte...

Sentir! carinho,amor,saudade,tristeza
Alegria,sorrir,chorar,admiração,
Coragem e fraqueza.
Sentir-me grata...
pedi perdão e dizer eu te amo...

Bom! que eu só achei por um minuto,
Que tinha virado um deles
Agora vejo que não!
Foi só um breve momento de reflexão...
Ainda sinto! uma lágrima cair...


+

domingo, 8 de junho de 2014

SE EU MORRESSE AMANHÃ...

Magda Farias

Se eu morresse amanhã,
Morreria feliz...
Feliz por ter tido uma família.

Por ter conseguido
Viver... nesse mundo
De Ousadia, mundo competitivo
E ter sobre-vivido.

Morreria feliz por ter tido
Quase tudo o que quis,
Tive um marido,tive um casamento
feliz, de certo por um tempo...

Tive meu filho, um lar,uma família,
Tive meu trabalho,meu salário, minha
Saúde,tive fé em Deus e na vida...

Tive esperança, amei o próximo,
Tive amigos sinceros, amei minha
Família...fui feliz...

Não tive muito dinheiro,
Mais tive o suficiente,
O que podia ter...

Tive momentos felizes...e tristes...
Mais que ajudaram-me à fortalecer
O meu eu o meu viver...

Tive experiências felizes, e frustantes
Mais como sou humana,fraquejei alumas
Vezes, mais levantei e dei a volta por cima.

Sou filha do pó e do pó voltarei,
Sou uma alma que vive,
E viverei...

Posso dizer que fui amada,desejada,
Pelos amores que desejei, e fui feliz...
Por um momento ou por um estante,
Ou por uma vida... fui feliz...

Rio,08/06/2014.


sexta-feira, 6 de junho de 2014

JÁ MUDEI...

Magda Farias

Ja mudei de nome
Ja mudei de endereco
Ja mudei de Cidade
Ja mudei de País  

Ja mudei Tantas Vezes,
Ja mudei de Direção,
Ja mudei de Vontade
Ja mudei ...

Ja mudei de Sentimentos,
Ja mudei de Relógio,
Ja mudei de batom,
Ja mudei de tom,

Ja mudei de Música,
Ja mudei de idioma,
Ja mudei de religião,
Ja mudei ...

Ja mudei ...
Tantas Vezes,
Que Perdi Meu Chão ...

Rio, 2014/06/06

COPA DO MUNDO 2014

Magda Farias

Não posso deixar de falar,
E não posso deixar de ouvir,
Ouvir os gritos de alegrias que
Estão por vir...
Que Venha Copa do Mundo...
E Iremos torcendo pelo esporte,
Pelo futebol em todo o mundo,
Que venham! de braços abertos,
Estaremos torcendo em uma só
Corrente, com vibrações positivas,
Estaremos celebrando mais uma
Copa do Mundo.
Que venha copa de 2014.

Rio,06/06/2014.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

TALVEZ...

Magda Farias

Talvez o amor seja o
Amor que roube à cena,
Amor que chega de mansinho,
Amor que chega como
Uma ventania...

Amor que deixa minha respiração ofegante,
Amor que deixa-me sem rumo sem direção...
Amor somos parecidos, parecidos até!

O outro dia, até à próxima vez,
Até o amanhecer e o entardecer,
Somos iguais! inconstantes e medrosos,

Talvez! queremos à mesma coisa,
Nos amar...
Ou não queremos nos entregar,
Fugimos... e assim vamos fugindo
De nós mesmo.